Eu sempre gostei de jogos de luta, mas nada muito num nível hardcore. Sempre fui mais pro lado mais casual, sabendo um ou outro combo em alguns jogos mais populares e algumas vezes eu acompanhava as eventos principais da EVO, principal torneio de jogos de luta.

Mas sempre teve uma série que eu joguei muito pouco, seja porque meus amigos não jogavam muito ou seja porque eu achava muito complicada de entender. Talvez agora chegou minha vez de experimentar.

Animações impressionantes, personagens com designs únicos, sistemas de combate de alto nível e uma trilha sonora heavy metal incrível: todas essas características fazem parte da série Guilty Gear desde seu primeiro jogo. Mas apesar disso, a série nunca teve o mesmo nível de prestígio que algumas outras franquias de luta possuem, mesmo mantendo uma base de fãs assíduos e apaixonados.

E depois de mais de 20 jogos, canônicos ou não, Guilty Gear -Strive- mostra que a série merece ser mais conhecida no mainstream, trazendo um pacote que tenta manter vários elementos da série ao mesmo tempo que se reformula e almeja trazer novos fãs para a franquia.

Jogando e admirando offline.

Desde o primeiro contato, é fácil perceber que Guilty Gear -Strive- é lindo (chegando a ser sobrecarregado) visualmente. É uma evolução do que a Arc System Works já vinha trabalhando nos outros jogos da série ou em outros trabalhos do estúdio (vide DB FighterZ), mantendo o conceito de planos 2D mas com personagens e cenários em 3D. É fluido com as animações durante as cutscenes e as lutas, já contando como ponto positivíssimo para atrair novos jogadores (eu, inclusive).

E no gameplay em seus modos offline de jogo, Guilty Gear -Strive- é o que os jogadores esperariam de um jogo de luta padrão. Existe o modo arcade, que leva o jogador por uma série de batalhas até o confronto final com o chefe em uma luta especial em dupla, bem caótica que por vezes me lembrou aqueles jogos feitos no Mugen.

Além disso, estão aqui os já estabelecidos os modos de batalhas locais versus contra outro jogador e um modo de survival, onde o jogador luta contra uma série de oponentes CPU sem recuperação total da saúde entre as partidas. Destaque para o modo offline do Dojo, que incluem um tutorial, com as mecânicas básicas (que não são poucas) deste game, um modo de treinamento gratuito contra um manequim de CPU e um modo de missão onde o jogador avança completando tarefas específicas.

Achei muito interessante a progressão deste último modo e como ele faz questão de ensinar diversos combos e outras interações além do que está presente no modo Tutorial. É bem didático.

No geral, não é a variedade mais impressionante de conteúdo para apenas um jogador em um jogo de luta, mas há uma quantidade bem ok de modos em que os jogadores podem se divertir.

Modo Online e o excelente Netcode

Provavelmente, as partidas online são onde os lutadores mais dedicados terão mais horas de Guilty Gear -Strive-. Depois de completar o tutorial de rede exigido, onde ensina sobre as regiões e os lobbys ranqueados e casuais, o jogador terá acesso as partidas classificadas online para competir contra jogadores Guilty Gear ao redor do mundo e criar suas próprias salas para jogar com amigos.

Depois do tutorial o jogador já é avaliado e colocado em um dos andares para colocar o jogador contra oponentes com níveis de habilidade parecidas. O jogador é livre para ir para andares com oponentes de classificação superior para enfrentar um desafio maior, mas não tem permissão para viajar para pisos inferiores para escolher jogadores de classificação inferior.

Também tem lobbys casuais, para aqueles que querem lutar online, mas não querem ter que se preocupar em perder sua classificação. O avatar é bastante personalizável pelo jogador e é possível pescar novos itens cosméticos, funcionando basicamente como uma lootbox.

O que me impressionou foi o Netcode ser tão bom. Nessa review aqui, sobre o KOF 2002: Unlimited Match eu expliquei o que é esse Netcode e porque se faz tão necessário nos dias de hoje.

Eu joguei o game antes do lançamento oficial, e por alguns dias eu não tive acesso aos lobbys online. Quando enfim as atualizações chegaram e liberaram o acesso, não tinha ninguém jogando nos servidores daqui da América Latina e acabei jogando nos servidores da Europa e da América de Norte. E mesmo com >200ms de atraso, eu consegui jogar sem muitos atrasos e engasgos. Com o servidor local, acredito que o resultado vai ser ainda melhor e eu vou poder (apanhar) jogar melhor.

História e mitologia do GG

Uma das coisas que eu mais estava curioso com relação ao Guilty Gear -Strive- era a sua história e mitologia. Descobri que é extremamente complexa e convoluta, mas o jogo faz um esforço para entregá-la de forma palatável para seus jogadores.

A narrativa segue os eventos de Guilty Gear Xrd (Sign, Revelator e Revelator 2). Um dos aspectos curiosos do Guilty Gear -Strive- é que há um modo Story, mas ele não é um modo de história tradicional, onde o jogador luta uma série de batalhas que ajudam a esclarecer o enredo.

Alguns jogos mais recentes até colocam um modo história que você passa por diversos personagens para entender o ponto de vista deles ao longo da narrativa (Série Mortal Kombat desde o 9, Injustice ou Street Fighter V, por exemplo). Em vez disso, aqui é como uma série de vários capítulos em que o jogador simplesmente assiste o avanço.

Isso não é novo na franquia, mas é definitivamente uma maneira diferente de avançar a trama. Embora a falta de um modo jogável dedicado seja decepcionante, ter um anime CGI para assistir com uma direção de arte fantástica não é uma coisa ruim para aqueles que não se importam em fazer uma pausa no filme. E ele tenta fazer sentido com diversas informações e diagramas sobre toda sua mitologia, mostrando a força da sua histórica rica mas a fraqueza por ela ser muito confusa.

Heaven or Hell?

Guilty Gear sempre foi uma franquia de peso e Guilty Gear -Strive- mantém o legado da série. A ação frenética é um espetáculo bonito de se ver e divertido demais de jogar. Jogar arcade é legal, aprender no Dojo é bem interessante, e a maior parte da diversão virá jogando contra outras pessoas.

Nota
Geral
9.0