Aprimorando uma fórmula de sucesso

Sackboy Uma Grande Aventura foi desenvolvido pela Sumo Digital e publicado pela PlayStation. O jogo foi lançado em 19 de novembro, exclusivo para PS4 e PS5. Seguindo o estilo artístico da série Little Big Planet e alguns de seus personagens.

Mas as semelhanças terminam por aí. Sackboy é um cavaleiro tricotado e viaja por diversos planetas para tentar salvar o Artemundo e seus amigos capturados pelo vilão Vex.

O jogo é em 3D por boa parte de seu tempo. Porém existem plataformas em 2.5D parecido com o que vimos em Crash Bandicoot. As inspirações em diversos clássicos são facilmente perceptíveis. Como por exemplo, Super Mario World nos atalhos para outros mundos escondidos pelo game ou Super Mario 64 nas mecânicas de plataformas e coletas de itens. Tudo isso com um ar inocente e infantil, mas nem por isso é um jogo fácil.

A criação de plataformas nas fases não acontece mais como em sua série de origem. Aqui tudo foi muito bem trabalhado. Por diversos momentos parece que é um jogo dentro de uma peça de teatro tamanha sincronia dos elementos na tela.

Para avançar nas fases, é necessário coletar umas pérolas espalhadas pelos levels. Existem outros coletáveis que servem para adquirir emoticons e trajes.

A customização belíssima incentivando o retorno em diversas fases apenas para conseguir adquirir uma fofa roupa de tigre ou de cantor dos anos 60. Uma mais bonita que a outra. Deixando a self no fim dos desafios ainda mais incrementada. Fases bônus e desafios contra o tempo são bem feitos e totalmente opcionais.

Uma linda aventura musical

Cada personagem apresentado ao longo da jornada de sackboy rapidamente ganha a simpatia do jogador. Com curtos e objetivos diálogos em cinemáticas, a aventura fica mais divertida e ganha novas mecânicas como um jetpack nas fases espaciais e um tipo de boomerang no mundo com a temática de floresta.

Os loadings entre os ambientes estão rápidos mesmo no PS4 base. Tecnicamente o jogo é praticamente perfeito apenas o hitbox de algumas plataformas são um pouco problemáticas, mas nada muito grave.

O ponto mais alto dessa aventura é a trilha sonora que vai de desde Bruno Mars até o grupo brasileiro Barbatuque com a música “Baianá”. Que dá todo um clima tropical ao jogo inclusive nessa mesma ambientação. Todos os cenários acompanham as batidas da música e entre uma cantoria e outra empolgam de verdade relembrando os bons tempos de Rayman e suas fases musicais.

Existem batalhas contra outros chefes além do vilão principal Vex, todas são bem simples, porém eficientes. Na maioria das vezes segue a velha máxima de tacar algo na cabeça do chefe. Mas tudo é tão consistente que fazer as coisas mais simples em Sackboy se torna um exercício bem relaxante e prazeroso.

 

A dublagem está impecável durante todo o progresso. Mas o vilão tem um tempero a mais, já que é dublado por Mário Jorge conhecido principalmente pelo seu trabalho dando voz ao burro da saga de filmes do Shrek.

Jogando em família

O jogo tem a opção multiplayer local e online (que até edição desta análise ainda não estava funcionando) para até 4 jogadores e incentiva o jogador para que esse modo seja experimentado, já que diversas conquistas só podem ser adquiridas jogando cooperativo.

Inclusive isso nos leva a um ponto negativo que são as fases obrigatoriamente cooperativas. Impedindo o jogador casual a completar o jogo no single player. O que é uma decisão bem questionável e que provavelmente vai desagradar os caçadores de platina por aí.

Um exclusivo para todas as gerações (PS4 E PS5)

Aquele alto padrão que a Sony acostumou os seus fãs durante os últimos anos continua bem elevado. Impressiona o capricho em cada detalhe, e a vontade de jogar cada vez mais esse jogo de plataforma que tem um pouco de tudo para agradar a pai e filho.

Em momentos em que Triple As de mundo aberto são lançados a torto e a direito. Um jogo leve e cheio de alegria e encanto faz bem, quebrando um pouco essa seriedade das histórias mais pesadas repleto de missões estendendo a duração de um jogo para tentar compensar seu preço elevado.

Para completar a história são necessárias umas 7 horas de jogo e talvez o dobro para os 100%. Infelizmente costumes antigos desse estilo de jogo estão presentes mais uma vez.

A exigência de itens específicos para avançar na história é um pouco frustrante obrigando o jogador a repetir as fases sem optar por isso. Já que no level design por vezes o caminho principal da fase não é muito claro, sendo assim, caminhos alternativos são escolhidos aleatoriamente e acontece de perder um coletável importante por ter virado em uma passagem sem volta.E isso é um problema que pode ofuscar um pouco a iluminada experiência no artemundo.

Talvez por ter sido lançado junto a diversas franquias famosas Sackboy não teve o destaque que merece, levando em conta que tudo aquilo que faz os jogos eletrônicos serem tão amados está dentro desta pequena e reluzente pérola. Facilmente uma porta de entrada para jovens aventureiros se apaixonarem por esses guerreiros tricotados.


Siga o Gamer Point nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e Twitch!

Nota
Geral
8.8