Embora tenha sido um dos primeiros exclusivos anunciados para o PS5, Godfall, da Counterplay Games, ainda tenha um longo caminho pela frente. Então, com suas ambições, o apoio a longo prazo parece ser algo bastante necessário. E o game deve conseguir parte desse apoio, pois não se trata de mais um game cheio de microtransações.

Segundo o produtor técnico da Counterplay, Richard Heyne, que conversou com a Arekkz Gaming, Godfall não conta com microtransações, pois para eles, o game não é um “jogo como serviço”.  “Não consideramos um jogo como um serviço, então não há microtransações em Godfall. Mas estamos planejando que haja bastante conteúdo para o jogador explorar quando Macros for derrotado, por assim dizer.”, disse o produtor.

Quanto à possibilidade de se esperar conteúdo no final do jogo, Heyne confirmou que esses conteúdos se farão presentes. “Há uma campanha em que jogadores viajam por vários reinos enquanto sobem no Monólito Skybreaker e, eventualmente, param em Macros.”, continuou. “E essa é uma experiência finita… Dito isto, há conteúdo reproduzível, existe conteúdo de final de jogo, e há mais para o jogador explorar e revisitar depois de concluir sua ascensão ao Skybreaker Monolith”, finalizou Heyne.

A história de Godfall se concentra nos membros restantes da Ordem dos Cavaleiros, enquanto eles tentam interromper os planos malignos de Macros. Junto com cinco classes de armas diferentes, cada uma com seus próprios conjuntos de movimentos e golpes, os jogadores também terão as Placas de Valor equipadas com habilidades únicas.

Godfall será lançado no final de 2020 para PS5 e PC (via Epic Games Store).