Os RPGs da CD Projekt RED sempre se concentram nas escolhas do jogador. Mas o estúdio aparentemente está “dobrando a aposta” com Cyberpunk 2077. Desta vez, a escolha do jogador será tão essencial que alguns jogadores podem terminar o game sem realmente completar a linha de missões principais.

O principal designer de Quest, Pawel Sasko, confirmou isso e explicou como isso vai funcionar durante entrevista à publicação polonesa Spider’s Web. De acordo com Sasko, o estúdio construiu a “estrutura” de Cyberpunk 2077 com base no que foi aprendido no desenvolvimento de The Witcher 3. Ele explicou: “The Witcher tinha o núcleo principal da história e linhas laterais que partiam dele, e essa era a nossa estrutura principal. Na estrutura de Cyberpunk, temos um centro, o enredo principal com diferentes subtramas em torno dele, e que podem ser acionadas de várias maneiras. ”

Pela primeira vez, o CD Projekt está experimentando mais as subtramas. E agora, mais notavelmente, a subtrama alterará a trama principal do jogo. Essas mudanças serão drásticas, tanto que os jogadores podem terminar Cyberpunk 2077 sem concluir a história principal. Sasko observa que o caminho escolhido afeta todas as peças do quebra-cabeça. De fato, o caminho da vida escolhido pelos jogadores no início do jogo significa que eles terão um “epílogo completamente diferente do jogador com um caminho diferente, que fez escolhas diferentes, conheceu personagens diferentes e formou relações com eles”.

O sistema de caminhos da vida de Cyberpunk 2077 alterará até o relacionamento de V com Jackie, o companheiro visto em muitos trailers. Ir para o Corpo significa que V encontrará Jackie sob um conjunto de circunstâncias que diferem de outro jogador que escolhe o caminho nômade. Sasko disse à Spider’s Web: “Este é um exemplo do fato de que, dependendo do caminho de origem escolhido – como personagem você nasceu em um lugar diferente, você tem uma história diferente e, portanto, a história de Jackie e seu relacionamento com V era diferente.”

No final, tudo se resume a um efeito borboleta que afeta histórias inteiras, já que algumas missões são exclusivas de certos caminhos da vida. Assim, uma decisão tomada no início do jogo foi estruturada para impactar todas as facetas da experiência. Como o criador sênior de missões Philipp Weber brincou anteriormente, essa variedade certamente fará com que o valor da reprodução seja incrivelmente alto.

Cyberpunk 2077 chegará às lojas no dia 19 de novembro, para o PS4, PC e Xbox One.