Início Análises Sonic Origins | Análise

Sonic Origins | Análise

Há 31 anos o ouriço azul chegou e conquistou seu espaço como um dos personagens mais amados dos jogos, depois de tanto tempo o carinho permanece praticamente intacto, basta alguém nos mostrar que eles ainda estão por aí.

Boa e velha nostalgia

Apenas por deixar o jogo na tela de seleção, e ouvir o tema do ouriço se repetir, é o suficiente para que possamos relembrar o bom e velho Mega Drive, que com ele trouxe nos anos 90 trouxeram os jogos que aqui ganham uma coletânea caprichada e muito especial para os fãs.

Sonic the Hedgehog, Sonic the Hedgehog 2, Sonic the Hedgehog 3 & Knuckles e Sonic CD voltam para conquistar novos jogadores e deixar os saudosistas com as memórias dos bons tempos, quando os jogos eram apenas sobre passar fases e enfrentar o cientista do mal que deseja dominar o mundo.

Ao iniciarmos cada jogo, já é possível escolher entre conhecidos heróis, Sonic, Tails e Knuckles, o bom de jogar com cada um, são seus pequenos diferenciais, Sonic no segundo jogo pode dar um segundo golpe aéreo, Tails plana com suas caudas e Knuckles se agarra em superfícies.

Isso deixa a jogatina diferenciada e pode até mesmo facilitar alguns pontos, Knucles simplesmente pode ignorar algumas plataformas e escalar a parede, Tails escapa mais fácil e Sonic ataca uma segunda vez.

O início da clássica Green Hill Zone e seu tema marcante, ainda é divertido depois de todo esse tempo, o modo como o jogo flui e a velocidade dos personagens é algo e muito característico.

A dificuldade das fases vai depender de dois fatores: sua paciência e seus reflexos, existem horas que a tela se move tão rápido, que quando menos se espera, nosso personagem vai de cara com algum inimigo ou uma fileira de espinhos.

Para os que são acostumados com os jogos de plataforma, vai ser um passeio (ou corrida) no parque, ao finalizar o primeiro jogo, achei que meu polegar não iria mais se recuperar, não foi só o ouriço que envelheceu.

É necessário entender que os jogos que estão nessa coletânea foram feitos não só para os antigos jogadores, mas para atrair novos também, uma das coisas que mais me chamou atenção foi o modo como algumas fases são ainda desafiadoras.

No segundo game, há duas fases em que temos como ajuda o simpático Tails, e aqui entra uma parte importante do game, há desafios que parecem ser impossíveis de passar de primeira, há fases em que os inimigos brotam sem dar tempo de reação.

E os chefes do segundo game seguem padrões mais agressivos, além do cenário não ajudar muito, em uma das lutas, Robotnik vai trancar nosso herói em um cubículo, e lançar três robôs, enquanto uma quarta máquina tenta dar cabo do personagem.

Esses leveis se não são com feitos com atenção, gera uma frustração que só os jogos antigos poderiam dar, são fases para testar nossa paciência.

Seguimos sempre querendo pegar o máximo de anéis possíveis, não só para evitar morrer com um único golpe, mas para usarmos o modo super saiyajin do Sonic, uma coisa que mudou aqui, é que os espinhos não matam de cara.

Além disso, nas fases podemos encontrar diversas áreas secretas que levam para leveis bônus, onde vamos ter que cumprir certos requisitos, se quisermos coletar as esmeraldas, em cada um dos jogos há fases diferentes para nos aventurarmos.

Em Sonic CD, temos o modo de fase mais maluco dos quatro jogos, onde vamos alternar entre linhas temporais diferentes para destruir as máquinas que capturam a vida selvagem do planeta, porém, de todos os visuais que mereciam uma repaginada, esse foi o que mais careceu de atenção.

Poderia ter o mesmo cuidado que os demais tiveram, e não deixar ele com o contraste tão alto, é difícil acompanhar a paleta de cores em alta velocidade as vezes.

A velocidade não pode superar os bugs…

Mesmo o jogo estando maravilhosamente nostálgico e bom para jogar, há alguns bugs que podem frustrar demais alguns jogadores, em determinado ponto, ao morrer em uma das fases, o jogo simplesmente travou e teve de ser reiniciado, outro erro, e esse eu considero um pouco mais grave, foi o jogo não atender o comando.

Em uma das fases, é necessário realizar o comando para que uma peça se erga, mas ao fazer, o objeto simplesmente não reage, impedindo o progresso pelo level, mas após algumas tentativas, isso foi solucionado.

Em outras partes do mapa, foi possível observar que as armadilhas causavam dano ao personagem, mesmo que não estivéssemos no raio de alcance, algumas encerravam de vez a aventura, isso nos modos com vida limitadas são irritantes.

Creio que possam lançar uma pequena atualização para resolver isso, caso tenham mais descontentamentos.

Tirando os bugs, as fases extras apresentam uma câmera descontrolada, talvez fruto da pouca tecnologia presente na época, é quase um teste final de coordenação motora.

E as lutas com alguns chefes passam por complicações, quando começamos a aprender a movimentação dos inimigos, algumas vezes o golpe pode acertar e causar dando, mas em outras, no mesmo local, causará a derrota do nosso personagem.

Pequenas mudanças, grandes negócios

Em Sonic Origins, poucas coisas diferem dos originais, há dois modos de iniciar cada jogo, a versão de aniversário, onde as vidas são infinitas e o modo clássico, com limites de vidas e se elas zerarem, teremos que voltar tudo.

O modo aniversário é para relembrar mesmo os jogos que tanto fizeram sucesso, é desafiador, mas não frustra por conta de tentativas ilimitadas.

Já o modo clássico, é para quem deseja o desafio como antigamente, algumas fases são complicadas e a velocidade do ouriço pode e vai fazer você cair diversas vezes em armadilhas.

Outra mudança é que, no modo aniversário, a tela é cheia, e o clássico utiliza as dimensões 4:3, trazendo as lembranças das telas que cabiam em qualquer lugar.

Ao iniciar e ao terminar cada jogo, temos animações curtas e muito bem-feitas, para nos deixar situados na história de cada jogo, todas elas seguem o padrão da animação feita com base nos jogos.

Além disso, não é necessário seguir em ordem cronológica todos os jogos, podemos escolher a ordem que desejarmos, parar de jogar um, ir para o outro e depois retomar exatamente de onde parou o anterior.

Existem as fases que marcam por serem extremamente complicadas de decorar, e esse é o caso das fases cassinos, presente em todos os títulos de Sonic Origins, elas servem para deixar os jogadores tontos de tanto procurar os caminhos que levam ao fim, o bom é que mais de um lugar pode ser usado.

E se essas são as que mais complicadas de decorar, existem as fases aquáticas que testam nossa ansiedade, já não bastasse ter espinho para todo lado, nelas o personagem se move de maneira mais lenta.

E sem contar que há a questão do oxigênio, são os cinco segundos que mais passam rápido, e não sobe uma mísera bolha para respirarmos, tive a impressão de que elas demoravam mais quando eu joguei pela primeira vez.

Para os que querem um replay das fases, mas sentem que já decorou cada padrão, ainda é oferecido o modo espelhado, todas as literalmente ao contrário, fica uma sensação de novidade.

Para os que querem algo a mais do ouriço azul, há missões para se fazer, um modo de combate apenas contra os bosses e o museu, onde pode se ouvir os clássicos temas da saga.

Além disso, os episódios da série animada do Sonic fazem parte do conteúdo extra, vale muito a pena ver, além de ser bem-feita, leva todo o carisma do personagem.

Após tantas coletâneas do personagem, o que percebo é a qualidade e o cuidado de não deixar algo como mais do mesmo, passa a sensação de trabalho bem-feito apesar dos pequenos problemas citados nesse texto, é inegável que todos os fãs do ouriço azul irão amar rejogar os primeiros jogos da saga.

E passar alguns minutos com os materiais extras, será a cereja do bolo da nostalgia, após alguns dias jogando tal obra, as trilhas sonoras já estavam grudadas na minha cabeça (e elas voltam enquanto digita essas palavras.)

É muito bom parar (por algumas horas) e lembrar que os jogos antigos ainda podem e vão nos divertir, e mesmo depois de tanto tempo, não sentir que algo “velho” ainda tem sem valor.

Caso desejem jogar, se for de fato um fã, pode ir sem medo, mas o preço nos consoles ainda está um pouco salgado, esperar uma promoção pode ser o mais sábio, vai valer a pena esperar um pouco mais, se for o caso.

Essa análise foi feita com base em uma cópia enviada pela Sega, agradecemos a confiança em nosso trabalho.

Nota
Geral
8.0
sonic-origins-reviewEntre uma pirueta e outra, com os sons de freio ou deixando os anéis voarem pelo cenário, ou parando de vez em quando para frustrar os planos do insistente Robotnik, Sonic Origins leva o legado para novos jogadores e traz lembranças boas.