Grand Theft Auto V originalmente encerrou uma das gerações mais longas e junto de The Last of Us, fazia os consoles daqueles idos de 2013 fritarem os miolos para rodar esses jogos que não tinham cara de próxima geração mas exigiam uma performance gloriosa, coisa que não conseguiam mais naquela altura.

Por ser um jogo que não foi construído pensando na atual geração e em como os novos componentes eletrônicos funcionam hoje, a grande funcionalidade enunciada para essa geração, os loadings praticamente inexistentes, não está tão presente nesta versão de GTA V ainda. Ainda melhor que no PS4, sim, que possuía uma tela de instalação do jogo, pois aqui temos o loading direto do mapa, que deve durar cerca de 20 segundos. Na geração anterior levava dois minutos adicionais toda vez que ligávamos o jogo e carregávamos o mapa. 

Quem por algum motivo bizarro ainda não jogou o quinto GTA principal, poderá se deleitar com esta versão, a qual não sabemos ao certo se é a definitiva, porém se o jogador souber o que esperar da fórmula do game no contexto da atualidade, que não mudou substancialmente, poderá se divertir bastante voltando ao planeta cínico da Rockstar.

Hoje em dia seu formato é sufocado por opções mais resolvidas de mundo aberto quando estamos falando em diversão sem olhar a temática, mas talvez a pessoa que adquire esta nova edição, esteja procurando as especificidades em jogos da Rockstar, como sua escrita e humor, ou então está procurando os benefícios da nova geração, que neste caso aqui será algo muito leve.

Não, não é uma screenshot de Midnight Club, da Rockstar.

Na geração PS4 e Xbox One você pode ver que o game roda a 30 frames por segundo, e na atual versão, sem dúvidas a funcionalidade mais útil será rodar o jogo a 60 quadros. Já era hora!

As sombras têm as bordas com um desenvolvimento muito mais definido e suave, criando ambientes agradáveis; O horizonte pode ser enxergado com mais definição; O modo RT (raytracing) existe no jogo e não irá consumir a taxa de quadros a ponto de fazer você jogar a 30 quadros, mas eu poderia dizer que a sensação é bem fraca, quando estamos falando da forma com que os raios de luz são rebatidos em GTA 5. Isso significa que não deu para sentir muita diferença neste caso aqui.

Os maiores protagonistas nos jogos GTA são as cidades.

DE VOLTA AO BÁSICO

Trevor e Michael são parceiros de assaltos de outras épocas. Na última empreitada os dois não se deram muito bem quando participaram de um grande assalto. O bando foi quase inteiramente dizimado, incluindo o Michael. Trevor é um psicopata nato morando num buraco qualquer distante da grande cidade. Ele acredita que Michael foi morto neste grande confronto com a polícia.

A verdade é que Michael está numa boa, sob nova identidade, tentando ter uma vida de merda de cidadão classe alta no bairro nobre de Los Santos. Os filhos adolescentes são uma vergonha para ele,e seu casamento não é dos melhores, se é que me entende. Mesmo assim, tenta suas aulas de ioga e tênis como todo bom almofadinha.

Já Franklin mora no coração do subúrbio, onde arriscamos dizer que a localidade já foi território de Grove Street nos anos 90. Ele tem a sua vida de  funcionário de concessionária corrupta, dessas que conseguem os automóveis na base do roubo. Franklin faz parte do time de ladrõezinhos que “adquirem” esses carros, diretamente dos bacanas. Ele não está nada satisfeito com essa vida, mas segue em frente fazendo o que tem de fazer.

Em um desses roubos arriscados, ele acaba escolhendo a pessoa errada para roubar, o Michael. Só que, incrivelmente, esse encontro irá estabelecer uma nova relação de crimes, ainda mais quando Trevor descobrir que o salafrário de seu comparsa ainda está vivo.

Você pode caminhar numa tarde relaxante em San Andreas e se distanciar do caos e crime.

COMO SE SAI EM 2022

Neste quinto GTA mainline, existe um senso de vivacidade na cidade de Los Santos em que até hoje, 9 anos depois, poucos jogos com proposta de mundo aberto conseguem alcançar, ao menos neste quesito. The Witcher,3, que saiu não muito depois é um jogo de mundo aberto riquíssimo no setting e sensação de que aquilo funciona e existe de verdade, mas não retrata uma metrópole e sim uma grande roça medieval onde encontramos vilarejos de quando em quando.

Em GTA 5, cada beco representa a cultura de metrópole da qual muitos de nós estamos inseridos. É possível ver identidade nos cantos, não é triste e morto, como por exemplo nos mundos dos Need for Speed mais atuais, que neste quesito emulam o que sempre foram, mas somente nestes mais recentes fica aquela sensação de que estamos num apocalipse onde a população toda foi arrebatada e o que sobrou dela é mais tediosa do que uma revista velha de sala de espera de consultório.

Los Santos está pronta para receber jogadores online, que vão se misturar aos NPCs, e assim aconteceu. Porém, quando vamos falar das histórias principais, de nossos protagonistas da capa, a coisa não vai tão positiva.

Temos sempre uma escrita afiada para esses jogos da Rockstar, mas não podemos contar com uma sinopse empolgante vinda de Franklin, Trevor e Michael. São três tipos diferentes de bandidos, vivendo crônicas, até que O Grande Roubo a banco aconteça. Logo,essa colcha de retalhos que são esses causos de San Andreas, se unem com as missões que jogam seus personagem para lá e para cá – algo já esperado de jogos de mundo aberto.

A recomendação então é de aproveitar a estadia nesta ensolarada terra, pois a melhor atração que Grand Theft Auto V tem a oferecer é a sua locação.

Em suma, o salto geral de qualidade pode ser percebido com folga se pegarmos as versões PlayStation 3 e Xbox 360 para comparar com o Xbox Series e PlayStation 5. Se você não joga GTA 5 versão desde 2013, talvez precise saber que aqui vamos encontrar o que já foi adicionado na geração passada: a câmera em primeira pessoa. Isso dá um charme a mais na experiência de quem gosta de passear na cidade e sentir melhor os cantos de um lugar tão grandioso e que víamos de tão longe.

É algo comparado à diferença entre jogar um jogo em primeira pessoa e jogar um jogo em terceira pessoa, mas em VR. O pertencimento ao mundo aumenta consideravelmente ao caminhar ou dirigir pelas ruas de San Andreas.

Ninguém pode reclamar da qualidade do céu no jogo (Sim, temos recorrentemente céus feios/mau feitos em jogos.

*Essa análise foi feita utilizando uma cópia do jogo
disponibilizada pela Rockstar, agradecemos por confiar em nossa equipe*

Nota
PONTUAÇÃO GERAL
7.5
Grand Theft Auto V  nesta nova geração serve para quem está desligado de videogames por 10 anos. Existe um gosto amargo no fato de que o jogo não é um upgrade gratuito para aqueles muitos que já possuem a versão de PlayStation 4 ou Xbox One. grand-theft-auto-v-chega-na-nova-geracao-sera-que-vale-a-pena-leia-a-analise