Arcadegeddon chega como mais um shooter de terceira pessoa com sistemas de progressão e missões como forma de manter o jogador engajado, para assim, com sorte, nascer uma comunidade contínua. A fórmula parece ser a versão refinada de tantos títulos que tentaram anteriormente, e agora chega a vez da IllFonic tentar o seu lugar ao sol.

O título vem com valor reduzido, custando pouco mais de R$100,00 no PlayStation 5 e R$35,00 na Epic Games Store. Fica de fora a comunidade do PlayStation 4, que é o primeiro erro a ser apontado aqui. Como dito antes, um jogo que necessita desesperadamente de uma comunidade, saindo num console que quase todo mundo quer e pouca gente consegue, não vai estar se ajudando muito.

A sorte é que ele ainda tenta o público do PC, mas sinceramente este é mais um caso de jogo que poderia estar muito bem saindo na PS Plus, e do PS4. A temática arcade que o game traz no título se dá ao fato de que necessita ir o mais distante possível em fases sorteadas ao acaso. Caso morra, por causa da crescente dificuldade dos níveis, você pode desistir e voltar para o lobby do game, ou pagar com dinheiro adquirido na sua run em caixotes.

Isso lhe dá o direito do famoso “continue”, presente nos arcades, firmemente por mais de duas décadas antes dos consoles matarem os arcades. Como o jogo é também um multiplayer, sua squad pode lhe salvar, bem ao estilo Gears of Wars. Mas se está jogando sozinho, contra as hordas de inimigos, bem, boa sorte. Se você cair, não tem a quem recorrer.

Essas fases possuem micro objetivos, como, atirar em balões digitais que se instalam em lugares altos do mapa, “capturar a bandeira”, só que debaixo de uma espécie de luz de disco voador – e as vezes pode estar se movendo, para complicar a sua vida, pegar chaves, levar para a fechadura, sobreviver por tantos segundos ao ataque dos inimigos ou simplesmente atravessar o cenário.

Em determinado momento chefes poderão ser desbloqueados. Quando recebe este aviso, é necessário achar a porta digital de acesso à eles e entrar, para assim ir para a sua batalha numa arena contra o dito cujo.

Matar chefes concede loots de arma, dinheiro, mods e tudo que você pode esperar de um jogo que as vezes lembra muito Borderlands – exceto que quando você acha um baú de loot no meio do cenário de guerra, é difícil ficar olhando os cards dos stats de cada equipamento.

Por este motivo, fez-se mais interessante para mim, prosseguir com minha pistola inicial, de munição infinita, que só precisa esfriar um pouco quando utilizada por determinados segundos seguidos. Isso mostrou que as armas do jogo, que as vezes imitam loucuras de Ratchet & Clank, não são tão importantes, fazendo eu notar um desequilíbrio latente. Tanto fez eu prosseguir com uma pistola normal. O que fez falta mesmo foi a presença de mais jogadores humanos.

Para me ajudar, claro, corri para o matchmaking. Só assim eu ia chegar nu level mais distante numa única run. Só que isso foi impossível pelo simples fato de que, em todos os dias que tentei achar uma partida em Arcadegeddon, ele não foi capaz de completar o pedido.

Em alguns fóruns estrangeiros que o matchmaking do game não é muito bom, mas não achar nada, é realmente embaraçoso. E esse foi o meu caso. Em outros jogos, consigo montar partidas normalmente. Então eu considero essa análise do game como sendo uma parcial.

Como pitadas de plataformas, música drum’n bass e um pseudo estilo que às vezes até que funciona, o game lembra uma mistura de Jet Set Radio, Splatoon com a modernidade de ser do Fortnite. Eu diria que há com o que se divertir aqui, mas realmente é uma muralha imponente que os deuses colocaram na minha experiência ao me privar de achar pessoas para jogar e me ajudar. Arcadegeddon está em early Access e promete um road map com mais biomas e todo tipo de melhoria.

O jogo propõe desafios a partir de conversas com NPC’s no lobby do jogo que é um lounge arcade futurístico.  Além disso, existe o sistema de level e customização cosmética de seu personagem (que é deveras rasa).  O jogo possui uma grande fixação com todos os tons imagináveis de roxo, mas até que agrada aos olhos.

Arcadegeddon-npc

Os inimigos não são muito variados, mas isso parece uma trend em jogos atuais. O uso exagerado do inimigo kamikaze, que corre para cima de você e destrói dita um ritmo que estraga algumas runs e cada inimigo traz uma barra de energia sob sua cabeça.

Como um não fã de PvP, Arcadegeddon trazia a oportunidade de eu me enganchar num multiplayer online com foco cooperativo, porém, esse crescimento está comprometido até que se consiga formar as partidas. Nós retornamos com mais informações sobre Arcadegeddon assim que for possível extrair mais dele.

Nota
Geral
7.5